Rotina de 129 mil alunos da rede estadual será retomada na quinta (29)

28/09/2011 22:49

O cumprimento dos 200 dias do ano letivo prevê aulas aos sábados e feriados até dezembro e nas férias de janeiro

 

Sala de aula

Salas de aula ficaram vazias desde 8 de junho, quando começou o movimento dos professores

 

A rotina de 129 mil estudantes mineiros que ficaram 112 dias longe das salas de aula finalmente será retomada nesta quinta-feira (29). Com o retorno das negociações entre o Governo e o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE), os 8.111 professores da rede estadual que estavam parados desde 8 de junho retornam aos seus postos de trabalho. Esta foi a maior paralisação da categoria já realizada no Estado.

Segundo a Secretaria de Estado da Educação, para assegurar o cumprimento dos 200 dias do ano letivo, os estudantes terão que comparecer às escolas todos os sábados e feriados até o final deste ano. Para concluir a reposição, eles perderão as férias de janeiro.

Conforme os cálculos do Governo, o ano letivo só terminaria em 24 de fevereiro de 2012. Assim, as férias dos alunos prejudicados pela greve teriam início em 27 de fevereiro e se estenderiam até 11 de março. O ano letivo de 2012 começaria em 12 de março e só seria concluído em janeiro de 2013. No entanto, algumas escolas vão precisar de um tempo maior para readaptar o calendário escolar.
De acordo com balanço do Governo divulgado nesta quarta-feira (28), sete escolas estavam totalmente paradas contra 564 parcialmente paralisadas.

O impasse entre o Sind-UTE e o Estado teve uma trégua na noite da última terça-feira (27), quando as partes reabriram as negociações sobre o pagamento do piso salarial dos professores. Para a coordenadora-geral do sindicato, Beatriz Cerqueira, o movimento atingiu seu objetivo. Além disso, ela avaliou como positiva a suspensão das demissões anunciadas pela Secretaria da Educação e a suspensão da tramitação do Projeto de Lei 2.355, proposto pelo Governo, que previa o pagamento de R$ 712,20 para uma jornada de 24 horas semanais.

Na quinta-feira, representantes das secretarias de Educação, de Governo e de Planejamento e Gestão se reúnem com membros do Sind-UTE para discutir o pagamento do piso salarial e os benefícios da categoria. O encontro ocorrerá no salão nobre da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, às 15 horas. Beatriz Cerqueira não descartou o retorno a nova greve caso as negociações não avancem.

Substitutos

A situação dos 3.566 professores que foram contratados para substituir os educadores grevistas ficará a critério de cada escola, segundo o Governo. Mas o Estado garantiu que eles continuarão em seus postos pelo menos até o fim do ano letivo.

Ainda de acordo com o Governo, os educadores que estavam fora das salas, e que tiveram seus pontos e pagamentos cortados durante a greve, receberão seus pagamentos retroativos à medida em que repuserem as aulas.

 

Fonte: Hoje Em Dia