Ponte em Virgem da Lapa ameaça cair

06/09/2011 19:07

 Sérgio vasconcelos

 Repórter

 Ponte sobre o Córrego São Domingos que liga o centro da cidade ao Bairro da Ponte está  com toda a sua estrutura comprometida. Moradores também reclamam da quantidade de entulho e lixo jogados no leito do córrego.

 

Uma ponte construída há mais de 40 anos sobre o Córrego São Domingos, em Virgem da Lapa, no Médio Vale do Jequitinhonha, está em péssimo estado de conservação e ameaça cair. Revoltados, os moradores  do bairro da Ponte, pedem providências urgentes. “ Fomos três vezes à Câmara de Vereadores. Representantes da prefeitura já estiveram aqui mas até agora nada resolveram”, diz revoltado Antonio Pereira Rodrigues, morador do bairro . “ É rachadura para todos os lados”, afirma. “ Está muito perigoso. Todos os dias passam caminhões, motos, ônibus escolares lotados de crianças e ninguém toma uma providência”, relata o lavrador Luciano Moreira, 18 anos, residente nas proximidades da ponte. “ Isso já não é mais ponte. Quando passa um caminhão pesado, ela treme toda e chega a envergar. Qualquer hora ela vai cair” relata João Rodrigues, morador da rua 15 de novembro.

A ponte liga o centro da cidade ao Bairro da Ponte. “ Ela era de madeira. Depois, colocaram cimento por cima. A última reforma foi em 1982. Depois não fizeram mais nada. ”, lembra o aposentado Apolinário Pereira de Carvalho, 74 anos, proprietário de um bar nas proximidades. " Agora está acabada. Precisa de outra", afirma o aposentado.

 Madeiras podres, infiltrações e rachaduras comprometem a estrutura da ponte que ameaça cair

 

A estrutura da ponte está toda comprometida. Por baixo dela, todas as tábuas estão podres. Além de muitas rachaduras, tanto em cima quanto em baixo, existem infiltrações que comprometem toda a sua estrutura. “ Será que é preciso haver mortes para que tomem uma providência?” exclama uma moradora.” Você não tem idéia de quantas motos, bicicletas, carros, caminhões e pessoas à pé que passam por ela todos os dias. É uma irresponsabilidade da atual administração em não ver o risco, o perigo que estamos correndo”, continua a moradora que não quis se identificar. “ Não põe meu nome ai não. Eles aqui perseguem” pede a senhora residente na rua 15 de novembro. Ouvido pela reportagem, o engenheiro Marco Antonio de Lima, chefe do Escritório Regional do DER, disse que estava tomando conhecimento da situação pelo jornal Gazeta e que a responsabilidade pela manutenção da ponte é do município.

 

Com a palavra a administração. Este espaço está aberto para que apresentem uma resposta à reivindicação justa  dos que se sentem desprotegidos pelo poder público municipal.

 

 

  Diáriamente pela ponte trafegam :caminhões de carga, ônibus escolares, motos, bicicletas, carros de passeio e transeuntes

 

 Morador mostra proteção da ponte caindo