Polos de Inovação podem implantar práticas do CMRR no Vale do Jequitinhonha e Norte de Minas

04/09/2011 20:16

- A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), por meio da equipe dos Polos de Inovação de Almenara, Araçuaí, Diamantina, Januária, Janaúba, Pirapora, Salinas e Teófilo Otoni, com representantes das prefeituras de Januária, Araçuaí e Salinas, estiveram no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) e na Associação dos Catadores de Papelão e Material Reaproveitável (Asmare), em Belo Horizonte, para conhecer novas possibilidades de aproveitamento de rejeitos e discutir potenciais parcerias.

Na parte da manhã, a equipe se reuniu com os dirigentes do CMRR para conhecer os projetos conduzidos e aprender as dinâmicas do processo de implantação da coleta seletiva em uma região, iniciativa que envolve também a inclusão socioeconômica dos catadores. Entre as diversas possibilidades, o estímulo à coleta seletiva e à formação de designers que saibam criar produtos a partir do material oriundo da coleta, são áreas potenciais para construção de uma parceria sólida.

“Os vales do Jequitinhonha e Mucuri têm nos desafiado muito. A política de reaproveitamento de resíduos tem se desenvolvido melhor em áreas de maior poder aquisitivo. Com a Sectes, podemos ampliar a coleta seletiva no conjunto de municípios mineiros e existe a possibilidade de uso da infraestrutura dos Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) para ensino a distância e capacitação em gestão de resíduos, levando os cursos que realizamos aqui para outros espaços”, afirmou o diretor do CMRR, José Aparecido Gonçalves.

Na parte da tarde, a equipe participou de uma visita técnica na Asmare e conheceu o processo de recolhimento e triagem de materiais recicláveis. Após a visita, todos foram recepcionados no ateliê do artista Léo Piló, coordenador das oficinas de arte da Asmare.

Expectativas

Para a coordenadora de projetos da área de resíduos e artesanatos do Polo de Inovação de Teófilo Otoni, Kélvia Oliveira Gonçalves, o conhecimento adquirido com as visitas vai abrir novos horizontes. “Poderemos levar às nossas regiões, os projetos realizados aqui e fortalecer parcerias na gestão de resíduos sólidos para aplicação no artesanato e em outras áreas existentes”, afirmou.

Segundo o coordenador do Polo de Inovação de Januária, João Batista Guedes, as possíveis parcerias vão beneficiar todo o Norte de Minas e os Vales do Jequitinhonha e Mucuri. “No CMRR, o trabalho não é voltado apenas para a coleta seletiva, mas sim para todo um processo organizacional, educacional e legislativo, destinado à transformação de resíduos sólidos em renda e trabalho. Além disso, estes trabalhos valorizam os catadores, cidadãos que estão marginalizados, e dão cara nova ao realmente tratá-los como cidadãos”, ressaltou.

 

Fonte: Agência Minas