Moradores de rua centenária de Araçuaí comemoram calçamento

26/08/2011 19:32

Moradores da rua do Rosário comemoram novo calçamento

 

Após anos e anos de esquecimento, a centenária rua do Rosário ganhou novo com calçamento de bloquetes, cujas obras foram finalizadas pela prefeitura municipal na tarde de 26 de agosto. Os moradores comemoraram. “ Dei uma cervejada para moradores e operários. Ficou bom demais. Parece que a rua ficou mais larga”, comemorava o marceneiro José de Odílio que possui há décadas uma marcenaria naquela rua. “ Agente esperou por esta obra. Gostei demais”, disse o lanterneiro Alcides Alexandrino Pinheiro, conhecido por Xú, proprietário de uma oficina mecânica no local.

Aguinaldo Silva, o Naka, presidente da Associação dos Moradores do Centro de Araçuaí disse que a rua sempre foi alvo de críticas dos moradores em decorrência do seu abandono. Quando não é o mau-cheiro do esgoto, era um cano estourando por causa do calçamento ruim.  Uma rua centenária e tradicional, com tantas histórias, não poderia ficar esquecida pela administração”, afirmou .

Clóvis Batista Sousa, 44 anos, morador da rua há mais de 20 anos, foi outro que gostou da obra. “ Melhor impossível”, disse ele. Miréia Marcos Pereira, 58 anos, contou que foi morar na rua do Rosário aos 12 anos. “ É a primeira vez que vejo uma administração fazer um serviço desse aqui. “tava” muito ruim. Agora ficou bom”, afirmou. “ Estamos vendo mudança. A cidade está com outra cara. Nunca vimos uma administração como essa”, dizia João Adão dos Santos, 64 anos. “ Antes era chão. Na década de 70 fizeram o calçamento de pedras que com o tempo ficou ruim e cheio de buracos. Não fizeram nada. Agora ficou bom né?” comemorava Maria dos Reis de Jesus, 77 anos, uma das moradoras antigas da rua.

A rua do Rosário liga o centro da cidade à Baixada, reduto boêmio de Araçuaí. Segundo contam, a rua tem este nome porque a maioria dos seus moradores pertenciam à Irmandade do Rosário, cuja igreja do mesmo nome, fica próxima à rua.

A obra foi executada pela Constrar Engenharia.

 

  Miréia Peteca mora na rua desde os 12 anos. Ao lado da sua sobrinha, diz que a obra foi uma maravilha