Marcos Valério quer Lula como réu no escândalo do mensalão

09/09/2011 20:33

  Durante sua última visita à Araçuai Lula evitou a imprensa e não quis comentar escândalos de corrupção no Governo Federal

 

 

Brasília. Em defesa apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão, o publicitário Marcos Valério de Souza reclama que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não foi incluído na lista dos envolvidos no esquema. O documento diz que Marcos Valério é inocente, mas afirma que a denúncia da Procuradoria Geral da República é um "raríssimo caso de versão acusatória de crime em que o operador do intermediário aparece como a pessoa mais importante da narrativa, ficando mandantes e beneficiários em segundo plano, alguns, inclusive, de fora da imputação, embora mencionados na narrativa, como o próprio presidente LULA (em maiúsculo)".

Também ressalta que o suposto esquema de compra de apoio político de parlamentares, o mensalão, é uma "criação mental" da acusação e diz que a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal não considerou os interessados nas irregularidades. Apontado pelo Ministério Público Federal como operador do esquema, Valério entregou na terça-feira as alegações finais de sua defesa. No texto, a defesa nega que o publicitário tenha sido "operador" do mensalão, mas afirma que mesmo considerando essa possibilidade, Valério não poderia ser apontado como figura central.

Valério é um dos 38 réus no processo do mensalão, acusado dos crimes de corrupção ativa, peculato (quando servidor público usa a função no desvio de recursos em benefício dele e de terceiros), lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e evasão de divisas.

A defesa de Valério nega, ao longo de 148 páginas, a existência do esquema. Diz que os pagamentos efetuados por ele, a pedido do então tesoureiro do PT, Delúbio Soares, eram referentes a pagamentos de dívidas da campanha eleitoral de 2002. Também afirma que não existem provas de que tenha ocorrido lavagem de dinheiro, um dos crimes imputados a ele. Além disso, Valério alega que nunca ficou provado que os pagamentos foram feito com o dinheiro público, como alega a acusação.

 

Julgamento dos 38 réus deve acontecer só no ano que vem

 

Brasília. O Supremo Tribunal Federal (STF) informou que todos os 38 réus no processo do mensalão entregaram suas defesas. A partir de agora, o relator do caso, ministro Joaquim Barbosa, vai elaborar o voto e liberar a ação para ser colocada em pauta no plenário. A previsão é de que o julgamento aconteça no primeiro semestre de 2012.

Marcos Valério, em sua defesa, diz que contribuiu com as investigações, apontando todos aqueles que receberam dinheiro por seu intermédio. Por esse motivo, o publicitário afirma que, caso seja condenado, deveria receber perdão judicial ou redução de pena, graças à sua colaboração com a Justiça. Ele diz ainda que a mídia teria dado "dimensão exagerada" à sua participação.

 

Fonte: O Tempo