Adolescentes, filhos de Araçuaí, morrem após incêndio em Ibirité

18/09/2011 21:51

Um trágico incêndio, na noite de sexta-feira (16/09) causou a morte de dois irmãos em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte. Os garotos, de 15 e 16 anos, estavam sozinhos em casa e, apesar do esforço dos vizinhos para conter as chamas, Wesley de Moura Lemos, 15, e Jeferson de Moura Lemos, 16, morreram com uma parada cardiorrespiratória causada pela fumaça. Eles residiam há dois anos em Ibirité, após saírem de Araçuaí, Vale do Jequitinhonha,  onde moravam com os pais no bairro Esplanada.

A mãe dos meninos havia saído pouco antes para ir à igreja com a filha mais nova, de 12 anos. O pai estava no trabalho. Por volta das 20h30, os vizinhos perceberam as labaredas saindo da casa. Eles arrombaram a única porta do imóvel, mas não conseguiram entrar no local por causa do fogo. As grades da janela também impediram a entrada na casa.

Diante da dificuldade, os vizinhos fizeram um buraco na parede, por onde os corpos dos irmãos foram retirados ainda com vida. O tio dos dois, o porteiro Geraldo Lemos da Silva, 52, participou do resgate. "Não imaginamos que tivesse alguém na casa. Achei que meus sobrinhos tinham saído correndo para avisar a mãe. Eles eram ótimos. Até para jogar bola com os vizinhos eles ligavam para o pai para pedir autorização", lamentou.

O guarda municipal Luiz Pereira, que entrou pelo buraco da parede, conta que, com a ajuda de uma lanterna, viu os dois irmãos caídos no chão. "Eles não estavam na cama. Tinham poucas queimaduras na barriga e nos braços. Eles devem ter desmaiado com a fumaça. Quando tirei os dois, fiz massagem cardíaca e respiração boca a boca, mas não foi suficiente. Eles estavam desacordados", disse Pereira. Os dois morreram antes de chegarem no hospital, após socorro dos bombeiros do 1º Batalhão.

Causa. Segundo os vizinhos, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) havia desligado a luz da família no mesmo dia. "Era cedo, mas como estava sem luz nem televisão, eles devem ter acendido uma vela no outro cômodo (sala) e dormido", afirmou o tio.

O Corpo de Bombeiros só chegou ao local, que é de difícil acesso, depois que os vizinhos já haviam retirado os irmãos da casa, cerca de 40 minutos depois de terem sido acionados.

Um dos primos dos meninos, José Domingos de Sousa, vigia da Cemig em Araçuaí, foi ao sepultamento e contou que José Cassiano e Gabriela, pais dos garotos, estão desolados com a tragédia.

 Tristeza. Inconformado com a tragédia, tio dos garotos  voltou à casa para contabilizar os estragos

 

"Os dois eram verdadeiras joias"

O senhor escutou os garotos pedirem ajuda?

Não ouvimos nada. Pensei que não tivesse ninguém em casa. Todos os vizinhos se empenharam. Enquanto colocávamos água no balde, era uma nova labareda que aparecida. Foi tudo muito rápido.

Por que eles estavam sozinhos?

A mãe estava na igreja, e o pai trabalhando. Eles estão arrasados. Meu irmão era muito agarrado aos dois. Todo dia ligava o tempo todo do trabalho para ter notícia deles.